quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Lutas desleais



Certas lutas são quase impossíveis da gente vencer, por mais que se tente, há adversários que levam vantagens sobre nós. Lembranças, por exemplo, como é que se luta contra elas? É muito complicado algo que está se iniciando conseguir derrotar um sentimento que já tem uma história, um espaço no coração e que talvez, possa estar adormecido. Vontades também, por mais que se tente agradar, se a pessoa não tiver boa vontade e colaborar, é muito difícil que as coisas deem certo. Não dá para ajudar quem não quer ser ajudado, nem exigir que o outro esqueça o que ainda está muito vivo na memória. Amor antigo que ficou mal resolvido é como uma tatuagem, por mais que se tente, é muito complicado retirá-lo. Por isso que nós, ao percebermos certas coisas, devemos nos preservar, pois há lutas que são desgastantes demais. Dependendo do adversário podemos tentar, muitas vezes até vencer, mas outras podemos ser nocauteados logo no primeiro round. Não podemos passar por cima de nós mesmos só para tentarmos ter o que talvez nunca seja nosso. Devemos sim lutar pelo o que nós queremos para a nossa vida, mas até onde acharmos que temos chances de vencer. A partir do momento que estivermos sofrendo mais do que tendo êxito, é melhor repensarmos na nossa estratégia. Desistir nem sempre é sinal de fraqueza, às vezes, é de sabedoria.




.

6 comentários:

Tina disse...

Concordo plenamente, as vezes desistir é a opção mais sábia e sensata.

Camila Sanches e Amanda Sanches disse...

"Lembranças, por exemplo, como é que se luta contra elas?"

é uma ótima pergunta! ;/
bjs:*

Lanny F disse...

Que texto bom e verdadeiro. Desistir ás vezes não é para os fracos, mas para os cansados :/


Beijos,
http://sorvetedecupu.blogspot.com/
@sorvetedecupu

Luiza Fernandes disse...

Eu só desisto quando sei que não vale mais a pena.
Ótimo fim de semana.

Sheila do Blog Passarinhos no Telhado disse...

Acho que lutar contra sentimentos e lembranças é um gasto de energia desnecessária. Não tem como. A gente pode até tentar, dar uma roupagem nova, mas ela estará lá disfarçada, negada, mas estará la. Sabe aquela frase : tudo o que vc resiste persiste...pois é. Para que ela vá embora ou perca sua força, o ideal é aceita-la. A aceitção é o início da transformação. Quando aceitamos o que sentimos, essa é a porta para que o novo se instale. Aceitação é só não negar que tal coisa existe.
Aceitar é estar lúcido no momento presente. E só estando Lúcido e não negando o presente, que as coisas podem ser mudadas...e fluírem naturalmente.
E se estiver lúcido, não negando o que sente, e achar melhor deixar pra lá...desistir...então com certeza, essa foi a melhor decisão.

beijos Pri! E bom fds pra vc! :)

Mariana-chan disse...

Concordo! Às vezes desistir não é ser fraco, mas sim abandonar certas coisas que só nos prejudicam e partir pra algo melhor... Na boa, a vida é curta demais pra ficar resolvendo coisas que não merecem ser resolvidas. O bom e velho "que se dane".

Mariana
www.aescritora.com/literando

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...